Fantasista


De manhã, o susto:
uma fada morta sobre o criado-mudo.
Vinda de qual tempo?
Vinda de qual mundo?

É em vão que pergunto...
Nenhuma resposta do criado-mudo.
Se dissesse qualquer coisa,
diria que durmo;
que é do sono que vêm os absurdos;
que a fada era um sonho vívido,
e agora, um sonho defunto.

33 comentários:

  1. Oi, Lari, como você está?
    Tuas palavras de hoje me remeteram à infância quando menciona as fadas e o mundo fantástico em que eu me perdia... Muitos provocam a morte delas conforme o tempo vai passando. Ah, e cada vez mais me impressiono com as imagens que traz aqui, ainda mais quando possuem detalhes nítidos muitas vezes imperceptíveis por nossos olhos...
    Beijos e tenha uma boa semana! ♡

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. K.! Estou bem, e você?

      Gostei das suas impressões sobre meu poema e do fato de ter apreciado as imagens :) Tenho várias assim em minhas pastas, mas nem sempre sei como combiná-las em posts, haha!

      Beijos, um domingo lindo e uma boa semana para você também ♥

      Excluir
    2. Estou bem também, obrigada!
      Nem precisa se preocupar em combiná-las nos posts, pois, além de serem sempre proporcionais às suas palavras, isto é, serem tão maravilhosas quanto, elas se completam ♡

      Excluir
    3. Ah, muito obrigada ♡♡♡ Vou tentar ser menos neurótica então, haha!

      Excluir
  2. oi Larissa. Achei bem espirituoso seu poema sobre uma hipótese inusitada, mística e surreal. Ah, as imagens são lindas.

    *beijos**bom domingo*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Rosa!

      Beijos e um domingo maravilhoso para você!

      Excluir
  3. Suas imagens são simples, porém carregadas de amor! <3 O poema me trouxe uma sensação nostálgica, me lembrou o filme "O encanto das fadas", que já me remete a algo melancólico por ser bem antigo. Já assistiu?
    Abracinhos, Lari. ♥♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nunca assisti a ele, mas agora fiquei curiosíssima e vou procurar vê-lo! Obrigada pela dica e pelo comentário ♥

      Abraços!

      Excluir
  4. Laaaarriii. Affs, você me destrói! Não explicar o que senti lendo esse poema. Simplesmente... perfeito. ♥ Vou divulgá-lo na Fan Page do AP, pode? ♥

    ACESSO PERMITIDO. ♥
    www.acessopermitido.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha, muito obrigada! Pode sim, claro! Fico grata por isso ♥

      Excluir
  5. Coisa mais linda, Larissa ♡ ♡ ♡ ♡ ♡

    Os versos me lembraram do caso das fadas de Cottingley (e da minha infância, claro, de quando passeava junto com a minha imaginação fértil no jardim "mágico" da minha casa).

    Engraçado eu achar que algumas coisas são belas mesmo que mortas.

    Até mais! ♡

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigadíssima, Isa!

      Não conheço esses contos (ou não me lembro deles), mas agora quero lê-los; tão boa a lembrança da infância!

      Eu também tenho essa percepção sobre várias coisas; talvez o mistério que elas carreguem em vida as cubra de vez, depois de mortas.

      Até mais! Um domingo lindo para você ♥

      Excluir
    2. A minha desinformação me fez rir; você disse caso das Fadas de Cottingley, e meu cérebro insistiu em associá-lo a contos, haha! Acabei de pesquisar o ocorrido, vou ler sobre ;)

      Excluir
  6. Adorei seu poema e junto da primeira foto ele me lembrou de quando eu tinha 6 anos e ficava imaginando como seriam se as mariposas, borboletas e libélulas fossem fadinhas perdidas no nosso mundo. Eu criava mil teorias.
    A fada do criado-mudo seria uma que se perdeu na bagunça da realidade? Haha'
    "que a fada era um sonho vívido,
    e agora, um sonho defunto."

    No final, há beleza em tudo, acho que até nos sonhos mais incomuns.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O inseto da primeira foto também me lembrou a imagem que temos desses seres místicos. As asas dele são tão bonitas!

      Fico contente que tenha gostado do poema ♥

      Beijos!

      Excluir
  7. Maravilhoso, Lari! Um dos melhores que já postaste...!
    GK

    ResponderExcluir
  8. Que registros lindos, Lari! A primeira então... O poema também, tão belo. Há uma delicadeza e uma simplicidade nas coisas que você cria, é admirável. Muito lindo mesmo, tudo muito lindo! <3 E até ousei a escrever algo relacionado ao que escreveu, mas me veio de súbito. hahaha

    Talvez... em algum outro mundo ou em outro tempo, a fada ainda estivesse viva e o criado-mudo a respondesse que o sonho ainda vive.

    Uma vez cê escreveu algo sobre universo, origens e eu comentei que adorava o tema. Também adoro essa ideia de mundos, tempos, realidades paralelas, dimensões, seres místicos... ai assim que li, acabei pensando nisso que postei lá no início. Acabou me inspirando. Espero que não tenha parecido uma chata. aueiauea

    E fico feliz que tenha começado seu próprio negócio. Acabei não comentando no post, mas li e fiquei contente! Talentosa é você, viu? haha :p


    Beijo de luz. <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Ana!

      Talvez...

      Eu me lembro desse post! E eu adoro esses temas também, queria inclusive escrever mais sobre eles. Queria escrever mais sobre tanta coisa... Preciso é criar vergonha na cara, haha!

      Que chata, o quê! Tu é maravilhosa <3

      Muito, muito obrigada mais uma vez!

      Beijos e uma semana cheia de surpresas lindas para você!

      Excluir
  9. Essas suas fotos estão cada vez mais encantadores e irretocáveis, devia trabalhar seriamente com isto, Lari. Se já não trabalha, né rsrs

    Elas casam perfeitamente com suas palavras, quase sempre curtas, porém cheias de significados. Acredito que o sonho defunto seja exatamente a medida da realidade e que a gente teime em superestimar. Ainda bem!

    Beijos, Lari! Passe bem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Vitor!

      Bem que eu gostaria de viver dos meus hobbies (escrita, fotografia, artesanato...), mas acho esse caminho complicado, haha! Por enquanto, vou trazendo o que eu gosto para cá :)

      Beijos, e passe bem também! Boa semana pra ti!

      Excluir
  10. Nossaaaaaaa ameei demais Lari! Esse poema me lembrou um do Mário Quintana que eu gosto muito que chama Canção de Garoa, não sei se você já leu... Eles não tem nada a ver, mas não sei algo me fez lembrar dele, talvez porque eu associei fadas com anjos? Não faz sentido nenhum... Ou talvez seja o sonho... sei lá...
    Amei as fotos também, elas estão cada dia mais bonitas!

    Beijinhos Bi

    Ah essa semana lembrei de você, fui para Tiradentes e passei por São João Del Rei, e foi inevitável não me lembrar daquele seu texto que fala sobre os sinos sabe?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acabei de ler o poema e o achei tão lindinho! Fiquei feliz com a associação, haha! E muito obrigada <3

      Sei sim! Viu como São João é realmente a cidade onde os sinos falam? Tiradentes também é um amor... adoro ambas, adoro todas as cidades históricas!

      Beijos :)

      Excluir
  11. Não sei dizer qual beleza é maior, se é a das fotografias ou se é a do poema.

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  12. É tanta sutileza e uma delicadeza nas suas fotografias e no verso, que faz a gente viajar para um lugar encantador! *-*
    Beijos,
    www.dosedeilusao.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Fran!

      Beijos e uma semana linda para você <3

      Excluir
  13. suas poesias....
    sempre singelas
    adoro suas palavras...adoro mesmo Lari
    bjo

    http://karinapinheiro.com.br/stranger-things/

    ResponderExcluir
  14. Hoje li uma reportagem que acharam na Inglaterra esqueleto de uma fada.
    No fundo passei a acreditar que elas existem!

    Beijo
    http://minhaformadeexpressao.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Maravilhoso! A marca da tua presença completa o todo.
    Saudações!

    ResponderExcluir