A noite do baile


Sexta-feira. Empenhadíssima em esfregar o chão, nem pensava no baile. Não queria ir mesmo. Seria mais agradável estar confortavelmente acomodada na cama, lendo o livro que o correio trouxera pela manhã ou vendo Netflix. Pena que, se assim o fizesse, a faxina ia acumular para o sábado... E fazer tudo sozinha, no sábado... Não merecia, merecia? A madrasta já estava velha para ajudar com o serviço pesado e seus dois filhos se achavam muito bonitões e machões para se submeterem ao trabalho doméstico. Se não fizesse a faxina, ninguém fazia.

Celular tocando. Foi atende-lo e, do outro lado da linha, uma voz fanha:

— Boa noite, eu falo com a senhorita Cinderela?

— A própria.

— Tudo bem, senhorita Cinderela? Meu nome é Etna e eu estou telefonando pra senhorita como representante da Empresa Fa...

— Não, brigada, não tenho interesse. Boa noite pra senhora.

Já ia desligando o celular, mas a que se chamava Etna exclamou um “Não, espere!”. Cinderela esperou.

— Como eu ia dizendo, — prosseguiu Etna — Empresa Fada Madrinha das Sofridas. Sou sua fada madrinha, senhorita Cinderela.

— Ãh.

— Então, Senhorita Cinderela — prosseguiu a representante fada madrinha, — como a senhorita deve estar sabendo, neste exato momento está ocorrendo o baile de 18 anos do príncipe, no qual ele vai estar escolhendo uma noiva...

— Né? Bem tontão esse príncipe, né? Fica se achando o todo bom só porque já tem o IPhone 7. É 7? Ou já é 8? Sei lá em que número já tá esse celular de rico... E não sei quem é pior: se ele, que dá um baile pra ficar escolhendo noiva como quem escolhe combinação de açaí no cardápio, ou se as cabeçuda que fica disputando o posto de futura esposa do príncipe só porque “Ui, ele tem olho azul!”, “Ui, ele é rico!”, “Ui, ele tem mais de um milhão de seguidores no Instagram”... Podia todo mundo ir se danar.

— Desculpe, senhorita, mas o príncipe não tem culpa de nada disso... Foi o pai que obrigou ele a escolher alguém para se casar. Só assim ele pode assumir o reino e...

— Ih, piorou a situação... O marmanjão tem 18 anos nas costas e não sabe rebater as decisões do pai!

— Mas o reino...

— Quem é que liga pro reino? Só a corte interessa pra essa cambada que nasce em berço de ouro. Manda um pobre ir lá reclamar pra ver! Se ele já não for barrado logo na entrada do castelo e conseguir uma audiência com o rei pra reclamar da barriga vazia da esposa, dos sete filhos e da própria, o rei vai dar aquele sorrisinho falso dele e dizer: “Oh, meu bom filho, você tem que fazer por merecer! Está vendo este meu trono aqui? Então, eu o consegui com meu próprio suor. Se você se esforçar bastante, conseguirá pão para você e para sua família. Agora vá com Deus!” Todo mundo sabe que o trono é hereditário! Você nasce destinado ao trono e pronto! Pobre só consegue título de nobreza se matar uns dragão ou salvar do perigo umas donzelinha rica, mas todo mundo sabe que mesmo essas oportunidades não estão ao alcance de todos.

— Mas o reino...

— Minha senhora, eu tenho serviço pra fazer. Corta essa parte. Tô sabendo que tem baile no castelo hoje: criaram um evento no Facebook com uma puta duma divulgação e a galera twittou isso a semana inteira. Me fala logo o que a senhora precisa comigo, por favor.

Etna pareceu totalmente sem jeito por uns instantes. Depois, respirou fundo, pigarreou e começou a dizer a que veio:

— Em função das expectativas em torno do baile do príncipe, a Empresa Fada Madrinha das Sofridas está com um plano promocional para as moças de baixa renda. Funciona da seguinte forma: a assinante pode usufruir gratuitamente dos nossos serviços até a meia noite, e nossos serviços incluem aluguel de roupas, aluguel de carruagens e aluguel de funcionários, tais como cabeleireiros, maquiadores, depiladores, manicures, cocheiros...

— Minha filha, escuta aqui: já são nove e tanto. Pra uma mulher fazer cabelo, unha, depilação e maquiagem levaria, assim por cima, umas quatro horas. Se a promoção acaba meia noite, e a infeliz só fosse ficar pronta de madrugada, ela ia acabar, com toda a certeza, arcando com o preço todo no fim das contas. Não sou palhaça não. Boa noite.

— Espere!

Fala logo!

— Senhorita Cinderela, — disse Etna, mais rapidamente porque sabia que a outra desligaria a qualquer momento — também estamos oferecendo um plano express. Assim como o outro, ele é gratuito até meia noite de hoje, oferecendo os mesmo serviços de maneira muito mais rápida e eficiente graças à tecnologia avançada com a qual contamos. Se a senhorita aceitasse experimentá-lo, com certeza ficaria tão feliz que...

— Olha, tudo o que eu mais quero essa noite é terminar meu serviço logo e ir pra cama, quem sabe até dê tempo de por umas séries em dia. Me dá licença? Até mais.

— Espere!

O que foi agora, pelo amor dos céus?

— Qual canal você assina? Porque nós da Empresa Fada Madrinha das Sofridas também oferecemos uma assinatura de canal especial que...


Em 2012, eu já havia trago para o blog um texto com referência ao conto de Cinderela (E se eu perdesse meu All Star?), só que sob um viés mais meritocrático... Na época, eu acreditava nesse mito de que todo mundo, sem exceção, pode facilmente conseguir o que quer. Que é só “correr atrás” e pronto. O texto, modéstia à parte, é bonitinho e passa umas mensagens válidas, mas... né.

A paródia de Cinderela de março deste ano (Um sapato só) já estava mais atualizada com meus valores atuais. E, falando em paródias, para ninguém achar que eu pego demais no pé da Cinderela — ai, ai... Um trocadilho —, em 2013, Rapunzel foi parodiada aqui também: Pô, Rapunzel! Confiram!

16 comentários:

  1. Super crítico e bem-humorado, amei o texto <3

    ResponderExcluir
  2. Você conhece "Cinderela Compulsiva" da banda Luxúria? Em caso negativo, ouça já! Bjs!
    GK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acabei de ouvir a música e achei bem bacana, Gugu! Obrigada pela indicação :)

      Beijos!

      Excluir
    2. Que bom que gostou...!
      Uma vez mais, obrigadíssimo por tua assídua presença em meu blog.
      GK

      Excluir
    3. Por nada, Gugu! É um prazer passar por lá :)

      Excluir
  3. Eu estou mortinho com esse texto, ficou muito engraçado, principalmente na parte: "não sou palhaça".
    http://brancobolcado.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha! Fico feliz que o texto tenha cumprido sua função humorística :) Obrigada!

      Excluir
  4. Esse texto é MARAVILHOSO! Essa Cinderela me representa muito na vida! Gosto muito de como você usar sua imaginação e sua auto crítica é excelente.
    Beijos,
    www.dosedeilusao.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Fran <3

      Beijos e uma semana linda para você!

      Excluir
  5. Que recontagem moralista e moderna. Nossa, adorei <3
    Essa Cinderela sou eu na V I D A. Super carismático.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahahaha <3

      Um abraço para você também, NNT!

      Excluir
  6. Eu não tô bem com esse texto! haha
    "Minha filha, escuta aqui" KKKK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahaha!

      Bom te ver por aqui, Guttho! Obrigada pelo comentário :)

      Excluir
  7. Eu definitivamente não estou bem! Estou rindo! hahaha. Suas paródias de contos de fadas são realmente muito interessantes, Lari, e eu consigo visualizar uma moça falando tudo isso direitinho. A parte do "o que foi agora, pelo amor de Deus?" sou euzinha revirando os olhos!

    Beijo, Lari! (ah, eu sumi desse mundo de blogs, mas vez ou outra eu venho aqui ler um textinho seu! Sempre bom haha)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que saudaaaaaade de você, Piê! Fico muito feliz que você tenha aparecido aqui... Mas viu, volta pra blogosfera com um dos seus blogs lindos! (Saudades de você e dos seus blogs lindos.)

      Beijos!

      Excluir