Dia após dia, saciemo-nos


A verdade é: as palavras que narram meu passado mal se lembram do que comeram no almoço. De que importa? No estômago tudo se mistura e o suco gástrico dá um jeito em muita coisa. O resto, tão passageiro... Minhas palavras sabem. Sabem e relevam. Sabem e preocupam-se apenas com o alimento que, mesmo que depois parcialmente esquecido, amanhã, outra vez, esperarão à mesa.

7 comentários:

  1. Espero pelo dia em que eu saberei o que dizer ao final de um texto seu. Este, como todos os outros, me deixou sem palavras. Só posso dizer que amei ♥

    ResponderExcluir
  2. Então vamos ao banquete entre teus textos e poemas.
    Uma boa semana.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Lari... quem se alimenta de palavras está sempre satisfeito quando as mesmas nos elevam.. bjs e até sempre

    ResponderExcluir
  4. Curiosíssimo e original escrito, gostei, estilo próprio e marcante.

    ResponderExcluir
  5. muito lindo não sei nem o que dizer
    tuas palavras tocam...

    ResponderExcluir
  6. Oi Lari *.* As vezes se apaga da minha mente o quão bonito é esse espacinho aqui, mas felizmente tu e suas palavras permanecem bem guardadas. E essas palavras, em outro ciclo :D

    Passe bem ^^
    xoxoxo

    ResponderExcluir
  7. Seus textos são sempre maravilhosos... Parabéns.
    Um abraço,
    http://juliet-in-crisis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir