Uma crença contra a outra

Já faz tempo... Eu tinha o quê, uns 9 anos? Por aí. Meu primo (da mesma idade) e eu estávamos na casa da nossa avó, discorrendo agradavelmente sobre alienígenas... Bem, talvez não “agradavelmente”. Se ainda hoje a possibilidade de existir vida em outros planetas se afigura para mim como um tema bastante intrigante, naquela época era, acima de tudo, perturbador. Porque, né, e se quando eu fosse me deitar para dormir um E.T. esticasse o braço por debaixo da minha cama, agarrasse minha canela, me puxasse, me matasse e desse sumiço no meu corpo? Situações assim me pareciam muito plausíveis quando o medo começava a tomar conta...

Fato é que, depois de discutirmos qual seria a aparência de um alienígena, chegamos àquele ponto do assunto em que entra em cena o E.T. de Varginha. O famoso E.T. de Varginha. O fabuloso E.T. de Varginha. Entrou em cena, também, minha avó:

― Do que é que vocês estão falando?

Trocamos olhares, meu primo e eu. “Devemos ou não contar a ela?”. Contamos. Sua reação se resumiu naquela expressão de “Ah, crianças... Tão inocentes...”, e, em seguida, ela se sentou entre nós e começou:

― Eu me lembro dessa história... Foi muito noticiada na época. Três meninas que juraram ter visto um E.T. num terreno baldio, ou coisa assim. Mas vou falar pra vocês, é uma bobajada isso... Elas não viram E.T. coisa nenhuma...

Eu tive um segundo e meio de alívio, porque, apesar de que minha avó, a fim de nos confortar, parecia ter acabado de desmistificar o ponto alto da nossa conversa ― acabando, assim, com a graça da conversa toda ―, aquilo significava que, talvez, e só talvez, eu deixasse meu medo de lado e tivesse uma boa noite de sono. Que ilusão... Logo, ela completou:

― O que elas viram, na verdade, ― ela fez um sinal de chifrinhos com a mão ― foi o Encardido.

Eu devo ter passado uma semana sem dormir. Não com medo de E.T., mas com medo do Encardido.

9 comentários:

  1. haushaushahs' Minha mãe fala assim também, igualzinho minha vó falava. Saudade bateu agora. Uma nostalgia... ♥ Achei incrível esse quase diário de agora. Senti minha vó como a sua.

    Beijos, Sel | Quinta Gaveta ♥

    ResponderExcluir
  2. Hahahahaha muito bom Lari. Passei por algo semelhante na época do Chupa-cabra, lembra? Haha

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A propósito, gosto bastante desse filme "Sinais", embora o seu final realmente seja decepcionante, mas, como um todo, é um suspense acima da média. ;-) E aquela cena do "ET" que aparece no Brasil, ainda me dá arrepios hahaha

      Excluir
  3. Bom dia Lari.. tudo que sei depois das minhas leituras e com base no que ouço sobre certos locais ai de BH é que é um lugar muito poderoso começando por São Lourenço..
    o governo sempre tenta esconder tudo.. mas ouvi de pessoas respeitadas que aconteceu algo sim ali naquela época..
    sobre o filme a qual a foto está ai muito bom. adoro todos estes filmes..
    gosto mundo daquele viagem ao centro da terra e outro dia encontrei um chamado.. a terra que o tempo esqueceu.. ´fala sobre mundo intraterreno é bem tri..
    bjs e lindo dia

    ResponderExcluir
  4. Uma prova de que nós apenas criamos novos apelidos para tudo aquilo que não estamos acostumados a ver em nosso cotidiano.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  5. É incrível como a gente aceita tudo quando somos crianças, aceitamos da forma como nos dizem e acreditamos quase que sem questionar. Ainda bem que temos sempre pessoas maravilhosas como nossas avós pra por fim em qualquer discussão que seja, sendo nos colocando mais medo ou nos confortando.

    ResponderExcluir
  6. WTF? Eu vi uma nave espacial quando era pequeno u.u "true history" - por Barney S. - rs mas não vi os ET's :o

    FOI BIZARRO... Mas hoje, já não sei se foi real rs


    xoxo

    ResponderExcluir
  7. Hahahahahahhahaha que demais,imaginei certinho uma vovó fazendo chifres com as mãos e dizendo encardido. Piorou tudo. Nunca me liguei tanto em ets (só na camiseta maneira q estou usando agora dó et vestido de mulher), mas você já assistiu o filme "co ratos de 4o grau"? Menina... Com o perdão da palavra: me paguei. Inteira. E até hoje não durmo bem pensando nisso.

    Realmente, intrigante e, mais que tudo, perturbador.

    www.eunomadiando.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, esse é um filme ao qual eu quero assistir há tempos! Muitas pessoas já me disseram que é ótimo...

      Excluir