Por meio da fechadura

A porta estava fechada
Mas por meio da fechadura
Pude vislumbrar sua essência:
Carência, ausência, demência

Notei na parede oposta
Aos meus olhos sondadores
Uma fotografia minha:
Poeirenta, antiga, sozinha

Todo o resto tão vazio,
Tão abandonado, tão frio,
Tão tristonho, tão sem brio...!

Deixei um recado na porta
Quando resolvi ir embora...

"Habite-se, por favor,
Que isso não cabe ao meu amor.
Eu não posso completá-lo,
Aquecê-lo ou sustentá-lo;
Amar-me de nada adianta
Porque a você, você não ama."

7 comentários:

  1. Poxa, que poema triste. Mas adorei lê-lo.
    Ótimo post para começar o dia.
    Beijos ;*
    http://bhulago.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Eu não sei porquê, mas esse seu poema me lembrou aquele livro "A Metamorfose". Deve ser por causa do clima que os dois possuem em comum. Na boa Larissa, você é uma grande inspiração para mim e desde que te conheço te aprecio demais (e cada vez mais) esse seu trabalho. Espero que continue escrevendo sempre <3

    Beijos,
    Gabriela.
    http://viagem-a-terra-do-nunca.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Lindo e tudo o mais.... ❤❤❤

    ResponderExcluir
  4. Oi Lari. Faz tanto tempo que não compartilho sentimentos, que sempre que leio um poema sento uma discussão interna como se a narração fosse feita para o próprio narrador, somente, sabe? HUEHUEHUEHUE Gostei muito das suas palavras, cambaleantes em curiosidade e uma transformação terminada em um ponto mais racional do que sentimental.

    Sdds daqui, passe bem <3
    xoxo

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde querida Lari.. sempre um prazer ler tuas poesias.. afinal é o que amo fazer tb..
    e quanto podemos tirar das mesmas, uma bela visão a tua.. podemos ver o todo através de uma pequena abertura que se ilumina do outro lado.. bjs

    ResponderExcluir
  6. Lari
    sou sua fã
    esse seu poema me fez lembrar infância
    bju

    http://karinapinheiro.com.br/a-volta-de-beto/

    ResponderExcluir
  7. Lari, quanta saudade daqui! Pensei por um tempo que você tinha desistido também, que surpresa boa saber que você ainda continua por aqui firme e forte. :3 O poema, como sempre, está lindo. Ainda tem as web-séries? Saudade de tudo, desse clima bom daqui, das suas palavras reconfortantes, desse cheiro (e tem cheiro, por acaso?) de casa de vó. De coisa de interior, de lugar que faz bem.
    Quero voltar sempre, pra escrever sempre, aqueles textos enormes como comentários, haha.

    Beijos, Sel | Quinta Gaveta ♥

    ResponderExcluir