Trechos e frases

"Aurélia amava mais seu amor do que seu amante; era mais poeta do que mulher; preferia o ideal ao homem. Quem não pode entender a força desta razão, pergunte a si mesmo porque uns admiram as estrelas com os pés no chão, e outros alevantados às grimpas curvam-se para apanhar as moedas no tapete." 
[Senhora, José de Alencar]

8 comentários:

  1. Esse livro foi meu paradidático da escola no segundo bimestre. Acredita que fiz de tudo (e + um pouco) para não ler? Só o nome já me dava agonia, parecia algo tão velho e só as pessoas mais bléh da minha turma gostaram da leitura. Acabei sendo covarde e nem toquei no livro, mas depois de ler esse trecho, fiquei com uma tremenda vontade de encontrá-lo por aí para lê-lo.

    brancadenev3.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior que acredito! Haha' acredito porque conheço muitas pessoas que não gostam dos clássicos da nossa Literatura, talvez por eles terem sido escritos num contexto muito diferente do nosso ou, ainda, pelo vocabulário que possuem. Eu sempre foi de boa quanto às duas coisas. Sou muito eclética nas minhas leituras, considero cada experiência única e marcante. Claro que a maioria me olha com aquela cara de "NOSSA, MAS QUE MENINA ESQUISITA!" quando se depara comigo e algum clássico encardido em mãos (eu provavelmente estaria entre as pessoas mais bléh da sua sala, auhsaushauhsauhs'), mas... tudo bem. Posso lidar com isso.

      Sou muito suspeita a falar, como deu para perceber, mas recomendo "Senhora", Pietra. Adoro José de Alencar e o enredo desse livro não me decepcionou!

      Excluir
  2. Olá, Larissa. Como vai? Lindo este trecho, fiquei bastante curiosa quanto ao livro, mas assim como no comentário acima eu não estou habituada a ler clássicos, mas acho que vale apena arriscar, rs.

    Um abraço, Clara || n-found.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou bem, e você?

      Poucos estão habituados, Clarinha... Acho que a culpa disto é, um pouco, da escola. A forma como alguns professores atrelam os clássicos unicamente às notas de fim de bimestre ou aos vestibulares, faz com que a maioria dos estudantes crie um grande receio em relação a eles. Ninguém gosta de ser obrigado a fazer alguma coisa. Ninguém gosta de fazer alguma coisa sob pressão. Penso que se houvesse mais educadores que se empenhassem em mostrar aos alunos toda a riqueza literária dessas obras, mostrasse o que estava acontecendo no momento histórico em que foram escritas, apresentasse semelhanças do enredo delas com o nosso momento histórico atual... enfim, despertasse nos alunos um interesse real pela leitura, ao invés de fazê-los engolir a mesma goela abaixo (o que em geral nem acontece, porque o que não falta internet afora são resumos para ajudar essas almas aflitas, haha'), os "grandes mestres da Literatura" seriam vistos com mais admiração pelos jovens. Uma vez eu li um livro que abordou bem isso... "Auto do Busão do Inferno", cujo próprio título já faz uma alusão divertida a uma obra de Gil Vicente — um dos mestres aos quais eu me referia — "Auto da Barca do Inferno".

      Excluir
  3. Amo tanto esse livro :)
    linda foto

    http://karinapinheiro.com.br/coisas-da-vida/

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem? Que trecho lindo, nunca tinha visto falar desse livro =/ Mas parece ser bem legal, se um dia tiver oportunidade eu com certeza lerei ^^
    Beijos || florescendo-palavras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Acredita que sempre leio seus textos? Mas nunca comento, só que agora vou comentar referente a suas respostas com esses comentários acima. Cliquei no post porque fiquei curiosa a ler os comentários, já que a citação é de um grande clássico.

    É triste se deparar com essas opiniões, quando alguém taxa a outra de "blá" por gostar de algo diferente, mais triste ainda saber que infelizmente esse tipo de leitura, como dito por você, são forçadas aos alunos. Se os educadores tivesse mais leveza com suas aulas e se os alunos fossem mais flexíveis, com certeza o gosto pela leitura seria maior e não só pela literatura estrangera, mas principalmente pela nacional.

    Fico feliz em ver alguém glorificando nossa literatura e com tanto amor *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério, Pâm? Ah, fiquei muito contente com isso, já que eu também estou sempre passando pelo "Todo mel da flor" para conferir seus D.I.Y. e fotografias perfeitos ♥

      É assim que eu penso. Precisamos de mais professores apaixonados pela matéria que lecionam. Claro que isto abrange uma porção de questões, como mais incentivo por parte dos nossos governantes a esses profissionais — é sabido que, no Brasil, pouquíssimas pessoas querem se formam na área da educação justamente pela desvalorização que é dada a esse setor (salários baixos, indiferença aos direitos trabalhistas, escolas com infraestrutura lamentável, etc, etc, etc) —, mas o fato é: qualquer um que esteja na sala de aula percebe quando o professor vê um ideal no que faz e quando não vê. Logo, se um aluno percebe que seu professor é quase que indiferente à matéria que dá, porque ELE iria se interessar? Não faz sentido. Não faz sentido nenhum...

      Excluir