Sensações incomparavelmente... horríveis

1. Frustração por não ter dado conta da “lista de afazeres diários”. Venho tendo alguma dificuldade em organizar meus horários... Eu acordo pensando “Certo, hoje eu tenho que limpar os quartos, estudar para a prova de Física, preparar uma postagem bacana para meu blog e hidratar meu cabelo”, e vou dormir pensando “Droga, eu devia ter limpado os quartos, estudado para a prova de Física, preparado um post bacana para meu blog e hidratado meu cabelo”. O que acontece nesse meio tempo a que se dá o nome de "dia", eu não sei. O pior é que quando as pessoas tentam encontrar justificativas para meu desleixo, elas também não conseguem, porque eu não sou lá uma adolescente muito convencional — do tipo que tais justificativas (“Ah, ela é viciada em redes sociais”, “Ah, ela não é esforçada mesmo”, “Ah, isso é porque ela anda apaixonada”) se aplicariam. É o que eu disse: sei lá o que acontece. É frustrante. Incomparavelmente horrível.

2. Não ter resposta para uma tirada. Eu sei que, por uma questão de bom convívio social, nós somos instruídos a relevar algumas situações a fim de evitar discussões desnecessárias ou levar adiante uma que já começou. Acontece que, em algumas dessas situações, é praticamente inevitável abaixar a cabeça e “deixar quieto”: é quando sentimos o ímpeto de responder à altura. Mas... e quando vem o ímpeto e não vem a tal da resposta à altura? O típico momento da cara-de-tacho-pós-tirada.

A grande maioria, nesses momentos, apela para a gavetinha do cérebro na qual ficam guardadas as Respostas Prontas e Totalmente Comuns Para Situações Emergenciais, como “O problema é meu”, “Ninguém te perguntou”, “A boca é minha e eu falo o que eu quiser”, “Xi, olha o recalque”, etc. É só escolher a que melhor se encaixa no caso — de que importa parecer uma criança de cinco anos criando encrenca? O importante é dar a palavra final. Agora, o que todos, sem exceção, fazem, é ter surtos criativos de respostas para tiradas quando elas já não são mais necessárias. 

3. Brigar com alguém. O lance das tiradas, às vezes, é bem banal: se não é pura zoeira, causa apenas um desconforto momentâneo, uma pedrinha no sapato do bom convívio social, mas depois passa e tudo volta às boas sem qualquer ritual de reconciliação. Agora, quando brigamos com alguém, fica aquela infeliz dúvida interior de “Ai, velho, e se eu nunca mais voltar a falar com ele(a)?”. Isso quando a pessoa é importante para nós. Quando sabemos que, ou teremos que lidar com o tempo da poeira abaixar e a criatura vir conversar conosco, ou teremos que, nós mesmo, engolir nosso orgulho e ir pedir desculpas. 

A outra face da moeda é brigar com alguém que não é tão importante para nós: é igualmente ruim porque a pessoa, de irrelevante, adquire o status de inimiga. Inimiga porque provavelmente nem ela nem você irá se incomodar em consertar as coisas. E se ganhar uma inimizade já é uma sensação incomparavelmente horrível, mais horrível ainda é conviver ou topar com ela nos cantos da vida. É muita energia negativa num contato só, ofuscando os ensinamentos do perdão e fazendo com que alimentamos uma raiva que só machuca a nós mesmos. O que, visto por esse ângulo, é muito idiota.

E a lista continua... algum dia. Enquanto isso, que tal conferir as sensações incomparavelmente incríveis já listadas?

4 comentários:

  1. Ganhar inimizades, ta aí uma coisa que me irrita. Sabe... As coisas já mão são das melhores por esse mundo, e viver com problemas causados à toa não tem cabimento sobre nenhum ângulo. Amo muito seus textos ♥
    beijinhos, Bru
    Mania de Bruna
    @ManiaDeBruna

    ResponderExcluir
  2. brigar com alguém é uma sensação horrível mesmo, por isso tento evitar de todas as formas, até porque eu sou sempre a pessoa que deixa o orgulho de lado e pede desculpas, mas não quero ficar fazendo isso sempre, porque ai as pessoas acham que podem fazer o que quiserem que você vai aceitar, então melhor evitar a briga. Odeio também aquela sensação de que você tem um monte de coisas pra fazer e não conseguiu fazer nada...

    kissus, winterofme.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Brigar com alguém é a mais horrível, definitivamente. Aconteceu comigo, nesse exato momento. O chato é que sabemos que, vez ou outra, a culpa é nossa! E quando não é, ficamos naquele orgulho que acaba nos destruindo aos poucos. Algumas pessoas são muito importantes para irem embora por causa de uma briga. Maaaas quanto as inimigas: os ex amigos são os piores inimigos.

    Gosto das suas listas, beijo.
    brancadenev3.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde Lari.. na correria dos dias as vezes nem nos damos conta..
    algumas coisas acabam ficando para serem feitas..
    s´é hora na hora , antes da hora ainda não é hora..
    não precisamos nos culpar.. nem ir além..
    como citou o brigar.. será que vale a ena perdermos nossa vitalidade com uma pessoa que esta em nossa vida só de passagem.. afinal.. muitas são assim..
    obrigado pelo carinho da visita..
    tua visão é sempre muito bela.. eu te vejo muito a frente de muitas pessoas da tua idade.. continue assim..
    beijos e até sempre

    ResponderExcluir