Mal-acostumada

"Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o Mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.


Eu costumava ter unhas compridas pintadas com esmalte escuro. Eu costumava andar pelas ruas com fones no ouvido. Eu costumava fingir de surda, cega e muda sempre que me era conveniente. Eu costumava dizer que minha filosofia de vida era “Liga o foda-se”. Eu costumava detestar apresentações de trabalho. Eu costumava ficar em casa todo final de semana.

"Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.


Eu costumava deixar que as pessoas me pusessem para baixo. Eu costumava fugir do que eu julgasse difícil demais para enfrentar ou ao menos tentar entender. Eu costumava cobrir meu rosto com o cabelo. Eu costumava limitar meus gostos na esperança de que assim eu parecesse original. Eu costumava ser mais ingênua. Eu costumava me omitir de todas as maneiras possíveis, disfarçando quem eu era, escondendo tudo o que gritava dentro de mim.

"O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já coberto foi de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.

Tão mal-acostumada andei, que cansei e desacostumei. São com novos hábitos que agora venho me acostumando... Deles, parte me mudará permanentemente; da outra parte, logo desacostumarei.

"E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto:
Que não se muda já como soía."



Mesclei todo o meu clichê adolescente de metamorfose ambulante com uma poesia famosa do Camões. Versos clássicos, distintos, com meu palavreado quase banal. É que minha personalidade também é assim: composta de conceitos contrários. Isso, nunca consegui mudar.
 

16 comentários:

  1. Também já fui cheia de mal costume. Mas agora estou tentando mudar, pensando bem já consegui mudar bastante, e assim estou de bem comigo mesma. Ótimo post, ficou muito bom!

    Beijos, nat-intensivaterapia.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Seu clichê adolescente é um dos melhores clichês. E agora mesclá-lo com uma poesia famosa do Camões... <3 Adorei!
    Beijos || Unlocked Land ❤

    ResponderExcluir
  3. Adorei a mesclagem, muito bem escrita.
    O poema muito bem ligado ao assunto.
    Ficou muito bom o texto!

    Palavras-antigas.blogspot,com

    ResponderExcluir
  4. Na boa menina, tu é minha inspiração. Seu clichê não é um daqueles bobos, mas sim poético. Adoro seu trabalho e acho que já posso me chamar de fã haha <3 Continue esse seu trabalho incrível, e por favor, publique alguma coisa algum dia desses.
    Kissus.
    Gabriela.
    http://viagem-a-terra-do-nunca.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Que lindo Lari! Se isso for clichê, com certeza não eh adolescente... Ou eu ainda sou uma! Rsrs

    ResponderExcluir
  6. bah! tensas tensões de uma idade tão viva e ao mesmo tempo descartável rs e essas mudanças que nos perseguem e nos mudam o tempo todo, quanto mais velhos ficamos, mais aprendemos e mais mudamos, mais nos acostumamos com umas coisas e desacostumamos com outras, ficamos bem acostumados em certo pontos, e mal acostumados em outros rs se prepara que a neura está chegando.

    belo texto e jogada genial com o poema, querida.
    passar bem!
    xoxoxo
    :)

    ResponderExcluir
  7. Boa tarde Lari.. só mudamos quando conseguirmos domar os hábitos que tendem a vir se repetindo anos após anos..
    sofremos com isso.. mas tudo que nos acontece é pq permitimos.. pq nos desinteressamos com nós mesmos..
    mudar um hábito não é fácil mas temos potencial para isso..
    tem pessoa que ficam de boca aberta pq não bebo quando almoço ou janto.. foi um hábito que mudei.. quando disse para mim mesmo que não beberia mais refrigerante foi outro.. faz tempo que não coloco toda esta acidez para dentro de mim..
    tenho coisas ainda por mudar e controlar.. o tempo nos ensina.. fique sempre bem bjs

    ResponderExcluir
  8. Uoooooooooow !! Menina, que jogada, que lindo !! Eu adorei o texto, adorei a forma como escreveu. E amo esse poema *-*

    Aliás, amei o seu blog viu ? Super cheio de conteúdo e mega fofo. Parabéns <3 Você escreve super bem e é uma linda haha. Já estou seguindo aqui, vou voltar mais vezes com certeza :)
    Parabéns novamente guria :) )

    http://www.1001julietas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Que incrível, Lari... incrível como tudo o que você escreve!
    Eu amei a sua ideia de intercalar essa poesia (clássica, por sinal, sei a primeira estrofe de cor *-*) com o texto... Foi tudo perfeito e se encaixou exatamente com a fase que estou vivendo agora...
    Simplesmente lindo! Amei - como não amar?
    Beijos!

    http://penny-lane-blog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Ainda sou o que vc "costumava ser" no primeiro trecho.
    Já do resto, passei dessa fase. rs

    ResponderExcluir
  11. Que liiiiiindo! amei!

    Minhas Inspirações

    Instagram!

    Fan Page do Blog

    Já conferiu o post de hoje, demorei um pouquinho pra retribuir a visita!

    Um beijão e ótima quinta-feira ♥

    ResponderExcluir
  12. Suas escritas são apaixonantes, sério, nunca cheguei a gostar de textos de blogueiros, além dos meus escritores famosos, ou poetas escondidos como Bukowski ou Carlin.
    Todo mundo muda, as pessoas mudam, as coisas mudam, os gostos mudam, a tecnologia muda, vão ficando melhores, alguns piores, mas sempre torcendo para que fique melhor, sobre a primeira estrofe; eu sou assim desda minha pré-adolescência, é algo da qual eu gosto de ser, mas sem seu ex lema de vida, haha.

    Beijo. um-mund-o.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Camões *----------* esse cara (apesar da pessoa que era) foi um bom escritor :)
    Amei tudo, Lari! Sabe aquelas palavras que dizem por você? Pois é, tão clichê e tão eu! *-* Perfeita como sempre :)) bjs

    uma-quase-perfeita.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Também sou o que você costumava ser no primeiro trecho (a Mari falou o mesmo ali.rs). O segundo eu era há um tempo. A gente acaba se fechando demais por causa dessa coisa de não querer se mostrar, por causa do medo de ser julgado. Isso não é bom. u.u || Ah, sim, adorei a mesclagem. ☛E.E.

    ResponderExcluir
  15. Seu texto foi ótimo... mas não pude deixar de me sentir mal enquanto o lia. Não por você, não, jamais... é porque... eu percebi que... eu continuo "mal acostumada".
    Eu ainda escondo o que eu sinto, meu rosto com o cabelo, ando com fones, ignoro o que me é inconveniente e sempre acabo me machucando por isso, até porque eu prefiro me machucar a ferir outras pessoas, meu "foda-se" fica num liga e desliga infernal, disfarço quem sou, deixo que me joguem pra bem mais em baixo do poço e disfarço isso com sorrisos e fujo do que eu acho muito difícil e impossível.
    E, por me sentir incomodada, eu tento mudar, ainda estou tentando, mas é algo muito mais difícil do que desapegar.
    Ainda tô tentando descobrir como deixar de ser, não "mal acostumada", mas sim tão "confortada à minha situação conveniente de profundo desespero e confusão".

    ResponderExcluir