Maldito Facebook

— Você bem que podia ter um Facebook, pra gente conversar.
— Ah, pra quê? Se você quiser, me manda um e-mail. Daí a gente troca e-mails.
— Tem dó, Larissa! “Trocar e-mails” é coisa de velha!
— Na verdade, não. Os velhinhos estão migrando pro Facebook.
— Pra você ver. Até eles têm Facebook.


Acima, retratei um diálogo que tive com meu irmão há algum tempo. Desde que ele entrou para a faculdade estamos separados alguns quilômetros um do outro, de modo que nossa comunicação, na qual constantemente trocamos observações idiotas de compreensão e divertimento mútuo — para desagrado da minha mãe, que, quando pega uns trechos da nossa conversa improdutiva, fica nos olhando com aquela cara de: “Meu Deus, no que foi que eu errei? E por que errei duas vezes seguidas?” —, fica prejudicada quando ele volta para a cidade onde mora. Ligações são complicadas porque, quando um não está ocupado, é o outro que está. Mensagens seriam perfeitas, se não fosse o fato de que, por alguma macumba do destino, eu não recebo nenhuma das que ele me manda. Daí teria o WhatsApp, mas eu nunca tive vontade de ter um WhatsApp e meu celular não suportaria um, se essa vontade existisse. Sobra o quê? Jogar na cara da maninha que ela é esquisita e não tem Facebook. Que trocar e-mails é coisa de velha.

O que os desenlaços dramáticos da minha vida fraternal têm a ver com o post de hoje é o que vocês devem estar se perguntando. Aí é que está o x da questão: meu problema não é meu irmão se recusar a me mandar e-mails; meu problema é o mundo se recusar a entender que eu não tenho um Facebook. Quando as pessoas me pedem para adicioná-las na rede social e eu digo que não posso, porque não tenho uma conta nela, elas me encaram da mesma forma que me encarariam se eu dissesse que moro na cidade e não tenho luz elétrica em casa. E fazem ecoar um sonoro:


"NOSSA, NA BOA QUE VOCÊ NÃO TEM UM FACEBOOK?"


Então elas me perguntam se eu tenho internet. Eu digo que sim, tenho internet, só não tenho um Facebook. Então elas começam a questionar a qualidade da internet que eu uso. E eu digo que minha internet é boa, mas que eu escolhi não ter um Facebook porque já o tive por um ano e meio e me decepcionei uns bocados com a experiência. Então elas começam a discursar sobre planos promocionais de internet, que não sei quem lá usa e gosta, e por isso eu poderia me interessar por eles também. Daí eu respondo que não tenho problemas com minha internet, meu problema é com o Facebook. Então elas começam a falar que comprar um roteador é super baratinho, e depois, instalar o Wi-Fi é fácil também, e... “Ô, CACILDA, MAS EU JÁ DISSE QUE NÃO TENHO PROBLEMAS COM MINHA INTERNET!” (eu penso em responder).

Pessoas simplesmente se negam a entender pessoas que não têm um Facebook. Se você diz, por exemplo, que excluiu sua conta porque não aguentava mais abrir a timeline todos os dias e se deparar com uma quantidade absurda de selfies, hipocrisia e status mais dramáticos do que as peças do Shakespeare, a pessoa responde que é só bloquear quem lhe incomoda. Se você rebate dizendo, então, que desistiu da rede social numa espécie de protesto contra o mundo que abre mão da vida real em prol da mentira que é a virtual, a pessoa nem lhe reponde, porque está ocupada postando um: "Discutindo com uma nerd revolucionária que acha que tem mais moral que o Zuckerberg. LOL."

Mas eu ainda não cheguei ao meu x da questão. Qual é ele? Ele é: terei que morder a minha língua com toda a força do mundo, até sangrar mesmo, e voltar a ter um Facebook.

Palmas para a hipocrisia que saiu de algum status para vir vestir o meu ser.

"Deixeusplicar": perdi no mínimo uns 50 sorteios nos últimos meses por não ter um Facebook. Perdi 344 curtidores da fan page Jeito Único quando deixei de ter um Facebook. Não pude participar de alguns grupos de blogueiras bem legais, como o Rotaroots, por não ter um Facebook. Também não pude participar de projetos blogueiros, nos quais as regras eram postadas no Facebook, por não ter um Facebook. Deixei de receber as atualizações de uma porção de páginas legais que eu seguia porque deixei de ter um Facebook. Velho, acho que perdi até uns amigos "reais" porque eles sumiram “das minhas vistas” e com os quais eu só poderia manter contato via Facebook.

Mas a gota d’água veio anteontem: tecnicamente eu vou com nota vermelha no boletim, no final do ano, se eu não voltar a ter um Facebook e participar de um grupo de biologia que contará pontos de trabalho. VIDA FODA.

Por que tiveram que envolver minha nerdice em torno da necessidade de eu ter um Facebook?

Quando a professora disse “Quem não tiver Facebook que se vire” e uns 25 pescoços se voltaram para mim com um "NÓÓÓÓÓ, LARISSA! EU NÃO DEIXAVA...", não tive escolha senão começar a rir e, depois, me manifestar, levantando a mão e perguntando se eu não tinha uma alternativa, como pegar as tarefas do trabalho com um amigo ou sei lá. Não, eu não tenho alternativa. Segundo ela, posso até criar um Facebook fake, se eu quiser, desde que eu participe ativamente do trabalho postando e comentando no grupo. É o fim.



Quase chorei uma lágrima de sangue quando a realidade veio até mim através da minha consciência, dizendo: “Abandone seus velhos conceitos, boa menina. CRIE UM FACEBOOK LOGO, DESGRAÇA”.

Então cheguei em casa e caí em mim que meu e-mail oficial está associado a uma velha conta que tive no Facebook (que faz parte da minha segunda experiência por lá), de modo que eu tinha duas opções: ou reativá-la, ou criar um novo e-mail para uma nova conta. Diante da perspectiva da segunda alternativa, que me deu uma preguiça sem tamanho, optei pela primeira. A minha surpresa? A mensagem que eu havia recebido quando excluí a fan page do blog, “Você tem 16 dias para mudar de ideia ou sua página será excluída permanentemente” (ou qualquer coisa do gênero) era pura conversa fiada: a fan page do Jeito Único permaneceu intacta durante todo esse tempo, como se eu tivesse a mumificado antes de desistir da coitada. WOOOOOOOW!

O fato me animou a voltar a ter um Facebook. Não que eu tenha mudado de opinião sobre ele: minhas opiniões permanecem as mesmas. Continuo não vendo, realmente, a graça da coisa. Eu nunca vi mesmo... Só decidi que ele pode me ser bem útil como ferramenta, já que oferece recursos interessantes tanto para a Larissa Estudante quanto para a Larissa Blogueira e para a Larissa Meio Antissocial. E, ao que tudo indica, até para ganhar nota eu dependo dele.

Parabéns, Mark Zuckerberg. Você conquistou o sonho de qualquer nerd, que é dominar o mundo. E eu fiquei com aquela máxima: “Se você não pode derrotar um inimigo, junte-se ele”.


P.s. para quem curtia a fan page do Jeito Único: animem-se que logo postarei atualizações! Mas, para recebê-las, é provável que vocês tenham que clicar no botão "seguir", além de curtir. Confiram lá se essa opção está ativada; caso não esteja, ativem-na, por favor. P.s. para quem foi um amor de criatura e topou trocar e-mails comigo durante o tempo que fiquei longe do Face: fiquem à vontade para me adicionar agora que voltei a participar dos esquemas, "môres" ♥

Curiosidade: a palavra "Facebook" foi citada 26 vezes ao longo deste post. Quer dizer, contando com esta vez, 27. Sinto que sofri lavagem cerebral.

22 comentários:

  1. "NÓÓÓÓÓ, LARISSA! EU NÃO DEIXAVA..." UEHAUEHAE
    Passei uns 6 meses sem facebook por escolha própia também. Daí tive que reativar pelos mesmos motivos que você: trabalho escolar em que tinha que participar de um grupo. Fui lá e criei, com a intenção de "não, quando acabar o trabalho, eu excluo essa desgraça de novo". Mas aí eu conheci umas 3 pessoas super bacanas que moravam lá do outro lado do Brasil e eu não tinha whatsapp -nem tenho, por motivos de: tenho nem celular- pra falar com elas depois e elas não gostavam de e-mail. Acabou que: tô com o facebook até hoje só pra falar com essa gente. UASHUSA
    Enfim, eu falo demais. Te entendo nesse "antissocialismo", Lari. UAHSAS De qualquer forma, boa sorte com tua volta pra essa rede social azul aí. ♥

    Beijos ♡
    {wakin-g.blogspot.com}

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uhuuu, então "é nóis no antissocialismo", Aninha! Aliás, não é que sejamos antissociais: somos seletivas. Não é mesmo?

      Hahaha' obrigada ♥

      Excluir
  2. Eu desativei meu facebook há um mês atrás e sinceramente só sinto falta do contato que tinha com alguns amigos distantes. A falsidade de alguns seres e aquela quantidade enorme de fotos repetitivas estava me consumindo, sem falar no tempo que eu perdia naquilo todos os dias e noites de sono também. Mas antes de excluir criei uma conta "fake" (onde não adicionei ninguém) apenas para poder continuar administrando a fan page do blog e seguir algumas páginas que gostava. E pra ser sincera sinto-me bem melhor assim. E uma das maiores e melhores coisas que ganhei desativando meu facebook foi Tempo.

    www.pumpcolor.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já cheguei a manter uma conta fake no Facebook por uns tempos também, e pelo mesmo motivo que você. Mas acabei desapagando fácil e, agora que resolvi (na verdade, fui obrigada a) voltar, achei mais viável reativar a minha segunda tentativa de ter uma conta por lá... (o fake foi minha terceira; em resumo, essa minha guerra com o Facebook vem de muito, muuuito tempo).

      Mas, Lavínia, você fez muito bem... Tempo é precioso.

      Excluir
  3. Também é algo que eu não gosto, uso quase por obrigação. Seguir páginas divas, entrar em grupos divertidos, conversar com os amigos (virtuais ou não), tem suas vantagens e suas desvantagens. Uma vez uma menina tirou uma selfie cagando, simplesmente me recuso.

    Beijos, nat-intensivaterapia.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ashuashuahsuau' mas tem gente que não tem noção, mesmo... Ninguém merece, né, Nathalia? Me recuso também.

      Excluir
  4. rsrs Muito boa tarde Larissa.. poxa.. e como eu ouvi coisas assim e te falo que ainda ouço.. a humanidade tá deprimente não é.. e cada vez mais criam coisas e coisas.. tudo para manter as pessoas quietinhas olhando a porcaria da tela do celular.. batendo foto do prato de comida.. postando fotos vazias de festas vazias.. com pessoas ainda mais vazias.. é tanta aparencia.. tanta frescura.. eles fizeram a armadilha e todos entraram como patinhos..
    quem tem o controle nas mãos não precisa de nada disso.. sequer de um celular..
    me estressei muito como facebook tb.. exclui .. exclui todo mundo dele sem dar justificativa.. cansei.. tempos depois fiz para o pessoal do curso que precisava contato.. mas mal entro lá.. não dou a minima.. prefiro trocar o email que é mais seguro e não nos suga.. bem.. para eu que sequer tenho um celular e já me chamaram de bicho do mato por não ter um tá de bom tamanho srrs
    agora se eu me encher deleto tudo.. que possamos investir em coisas produtivas Larissa.. um belo livro.. videos que nos passam coisas boas..
    antes de perder uma hora com papo furado em facebook as pessoas deviam dedicar essas hora ao programa vida inteligente com seus 182 programas.. lá se ia aprender a não ser um zumbi moderno..
    beijos e até sempre..
    continue assim... as tuas escolhas são sempre muito bem pensadas e só acrescentam em tua vida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Zumbis modernos"... Inofensivos, vítimas deles mesmos, esfomeados pela tecnologia que é, ao mesmo tempo, presa e predadora. É de assustar, né, sair na rua e ver todo mundo com o nariz enfiado num celular, "batendo foto do prato de comida.. postando fotos vazias de festas vazias.. com pessoas ainda mais vazias". Você faz bem de não ter um celular, Samuel. E o meu, pra ser sincera, uso mais como mp3 do que qualquer outra coisa, hehe'

      Excluir
  5. Oi Larissa :) Cheguei aqui através do blog do Samuel, nossa até para ter nota é preciso ter um Facebook? Tô passada..rsrs, quantas vezes eu já perdi de manter amizades por eu não ter um Facebook, sim pois eu não tenho e nunca tive, agora a pouco tempo atrás me falaram que seria legal eu criar um para poder divulgar o meu blog e ainda estou pensando nessa possibilidade.E assim a gente segue com Facebook ou sem Facebook :)

    Gostei do seu blog, parabéns *-*
    Um super beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pra você ver que "bsurdo", Kaka! Eu mesma tinha ficado chocada quando caí em mim dessa realidade, mas depois, conversando com uns amigos, descobri que está sendo super comum nas escolas fazer grupos de alunos e professores para uma porção de projetos, trabalhos, matérias e até mesmo avisos de quando tem ou não dever de casa. Daí eu fico dependendo dessa coisa.

      Que bom que gostou, môre, espero te ver mais por aqui ♥

      Excluir
  6. Ô CACILDA KMDHBGFVBSDNKMASDL,SMUHBGSVDBANM
    Eu gosto do facebook por causa dos grupos de zoeira e humor negro, e SEM DÚVIDA os sorteios que são videnha demais *u*
    Adorei esse detalhe da curiosidade aí! A gente reclama, reclama, bate o pé mil vezes, mas no final, não adianta, o facebook vem nos puxar pelo pé para voltarmos pra ele ç.ç
    Seu texto tá incrível e tô gargalhando tipo uma doida aqui KMCBSDGVSHBN
    666 seguidores, passa água benta no teu blog pra proteger ele do mal QQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQQ
    ━━━━━ •✺• Like a Rock Like a Roll •✺• ━━━━━

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Asuhausahshasuahs' eu olhei a caixinha de seguidores agora há pouco e pensei nisso... "The Number Of The Beast". Deus que me livre, auhuashuas'

      Excluir
  7. Tenho duas amigas que não tem facebook por não achar graça,eu já desativei o meu tantas vezes por estar cansada de ver as famosas "tretas" ver também pessoas mandando indiretas,não acho mais graça no facebook.Entro lá uma vez por semana para falar com algumas amigas e pronto,sério da vontade de desativar só que eu não iria poder falar com elas.CACILDA MINHA INTERNET É BOA ashuas' eu prefiro mandar emails sabia,acho bem mais pratico não é coisa de velho,hoje em dia tem pessoas que só se comunicam através desse método.Bem eu só tenho facebook só para manter contado com os meus amigos que não tem outras formas de se comunicar comigo.Nossa tem um grupo de biologia no facebook?Na minha antiga escola tinha mais era só para avisar das datas,de algumas matérias que iriam cair nas provas e tals.
    http://thewinnterwinds.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também prefiro e-mails... Dá pra colocar mais emoção neles do que em uma conversa em tempo real numa rede social qualquer, na minha opinião. Que nem as cartas de antigamente, sabe, que as pessoas tinham paciência de esperar e gosto de receber.

      Todavia... a vida é irônica e aqui estou eu falando, em post, da minha volta ao Facebook, haha (culpa de - pois é - um grupo de Biologia).

      Excluir
  8. Sabe, é curiosa a forma como o Mark transformou o FB em uma ferramenta que vai além da comunicação, mas ele ambientou uma rede social para dar a pessoa tudo o que é necessário para mantê-la entretida sem que ela tenha que sai da página. É como a estratégia que eles usam na construção de shoppings, a arquitetura e o design é todo voltado para um objetivo, fazer a pessoa dar voltas infinitas sem notar a passagem do tempo, mantê-las com tudo em mãos e confortáveis, é um alienador... BUUUUUUUT... eu por exemplo, como trabalho com público 'x' e esses estão constantemente ativos na rede, o que resta de mim além da opção de fazer parte deste meio? rs Difícil fugir, não? E é fato também, na faculdade os professores quase me obrigaram a participar dos grupos ou eu ia acabar ficando perdido com os trabalhos e infos rs HELL!

    Enfim, como tu disse, se não pode vencê-los, junte-se a eles :)
    Isso aí.
    xoxoxo
    ugdu =]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A comparação que você fez foi genial... Eu sempre pensei isso da tal rede social, mas nunca dessa forma, entende? Mas é bem o que eu penso. E concordo contigo, também, no porquê de precisarmos ter um Facebook. Impossível fugir.

      Excluir
  9. Boa tarde Lari.. sobre o teu comentário.. sim.. depende tudo de nós.. tudo passa por nós.. se emanamos coisas boas o universo emana de volta..
    sofro ainda com criticas e muitas para comigo mesmo.. mas o tempo nos ensina e com ele vamos nos melhorando..
    sobre os emails.. que bom que recebeste.. sempre que tenho algo bacana te mando pq em vc vejo um querer libertar-se de um sistema prisioneiro.. ..
    que possas continuar com tuas leituras.. com tua imaginação muito boa.. com tua observação desperta..
    ouça sempre que puder os audios.. os ouço várias vezes por semana.. uma hora a gente aprende as lições não é..
    sobre a Louise e o que ela passa.. é maravilhoso.. se conseguiu ver o link do video que explica sobre ótimo.. vale a pena..
    tenho um livro dela só de afirmações positivas vou mandar-te tb..
    fique sempre bem.. bjs e até sempre

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Samuel... O tempo nos ensina, nos faz evoluir. E obrigada por me enviar coisas boas. Pelo elogio, obrigada também :)

      Excluir
  10. Também não gosto do facebook, não vejo graça nenhuma nele. Já quase excluí minha conta, mas aí vieram meus parentes/amigos/pessoas que não conheço/pessoas que brotaram do ralo para me dizer que facebook era a melhor coisa, que eu estava doida e blá blá, no fim das contas permaneci com a conta. Por mais que tenha alguns benefícios, eu preferia de não ter. Nossa, nem sei como dizer, mas adorei seu texto demais! Confesso que cheguei a rir em algumas partes. Você escreve super bem, seu blog é demais <3

    starry skies ✰ beijinhos da senhorita Cat

    ResponderExcluir
  11. Eu tenho um face e quase nunca entro - é só pra ver as fotos que aszamiga postam... tem que ficar de olho nessas raparigas, se não já viu, qual o problema em ter um oras?
    Na verdade, agora que você mencionou, eu AMO ESCREVER E-MAILS porque me lembram cartas, mas ninguém mais usa... além de mime tu, ao que transparece XD
    Mas, admito, eu já tirei uma selfie e coloquei uma indireta sim, recentemente, SÓ PORQUE O ÚNICO MEIO DE MANDAR A INDIRETA ERA POR FACE, SÓ ASSIM PRA CRIATURA NOTAR (resultado: o fdp curtiu, mas obviamente nem se tocou, oh, Deus, eu desisto).
    Mas... eu entendo essa sua frustração... ou pelo menos acho que entendo. É tão chato você conversar mais com as pessoas no bate-papo do que na vida real, ou seu amigo de infância só ter vc na grade de "amigos" mas nunca te ver, as indiretas constantes das mesmas pessoas (sério, tem gente que posta a mesma coisa todo dia), a galera que posta uma selfie todo santo dia, o povo que manda "feliz aniversário" sendo que se odeiam, as panelinhas....
    Mas, sei lá, só não excluo por que se não ia perder todas aquelas coisas que você citou e, também, sabe Lari, a vida real não é tão diferente... percebi isso há pouco tempo.
    Os hipócritas ainda estão lá, assim como os exibidos, os duas caras, as propagandas pelas ruas, e aqueles que você quase nunca conversa pessoalmente porque estão sempre ocupados trabalhando ou estudando tanto que esquecem dos outros, até mesmo aqueles que fingem não gostar de alguma coisa ou escondem por medo de serem julgados.

    Anyway.
    Adorei o teu post - como sempre - e ... eu quero mt te adicionar... mas aí você irá descobrir... que eu sou o Batman...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas, tenho que admitir: seria demais ter o Batman na minha lista de amigos, hahaha ♥

      Excluir
  12. Me encontro no mesmo parâmetro que tu, Lari. Sem sombra de dúvidas o Facebook é a rede social que mais odeio, me deprime tanta hipocrisia reunida num só lugar. Dificilmente acesso (exceto pelos últimos dias) e quando acesso é só pra trocar mensagens e saber como vão as pessoas que amo e que moram longe (Pai, tias, primos, amigos...). Me recuso até de atualizar a linha do tempo (a não ser que eu queira confirmar mais o quanto os seres a minha volta são mesquinhos...
    Nossa! E eu que pensava que eu era a única estranha que nunca teve vontade de ter um WhatsApp :D Devo ter tido essa aversão logo depois que me perguntaram: "Tem ZapZap?" Na boa...

    ResponderExcluir