Procurando pelo herói do dia

Entre lágrimas que não secaram e remorsos que não foram embora, sigo devagar... Perdendo-me aos poucos. Ainda existe uma fresta de luz; a janela queima para iluminar o caminho de volta. Mas então desejo perder-me de vez. Eles saíram para encontrar o herói do dia, não irão notar minha ausência. Posso continuar andando a esmo, ocultando-me nas sombras silenciosas de uma vida distante. Fica cada vez mais escuro, mas não tenho medo do escuro. Não agora. Porque o medo do escuro é o medo do que não pode ser visto, mas não posso ser vista também. Não mais

O tempo passa tão lentamente... E alguém está suspirando. Um eco do passado. Porque enquanto cuido de como me sinto, essas coisas retornam a mim, ainda parece real. É difícil separar o que eu era do que eu poderia ser, mas, pelo menos neste momento, sei quem sou. Sou essência volúvel dissolvida nas sombras em que me escondo, em que me aqueço, em que esqueço.

E continuo seguindo devagar. Até que tropeço. O que há? Não posso enxergar... É uma cadeira de balanço? “Sim, mas o balanço parou pelas rodas do desespero”, responde-me um novo eco vindo da mesma direção. Começo a sentir medo. Talvez eu tenha ido longe demais. O eco questiona quem eu sou e oferece ajuda, mas respondo: “Não preciso de sua ajuda. Eu não sou totalmente eu, então, por favor, me desculpe enquanto eu cuido de como me sinto”. 

Mas agora os sonhos, antigos sonhos que não puderam ser realizados, ressurgem. E gritos ao despertar na última noite de todas. Eu quero voltar, eu preciso sair daqui... Eu realmente fui longe demais. E digo para mim mesma: “Então construa uma parede, rasteje escondido e esconda-se até que haja luz

E, embrenhando-me pelo caminho de volta, vou escutando o eco ressoar ao longe: “Você não está sozinha, e eles não estão procurando pelo herói do dia. Estão sendo os heróis do dia. Faça o mesmo. Volte a se sentir viva. Salve seu dia, todos os dias. Mantenha esta cadeira de balanço em constante movimento, não deixe que ela pare novamente porque um novo impulso pode vir tarde demais.

“Salve seu dia... Salve seu dia... Salve seu dia”, ressoava.


Observação fixada: este foi um dos devaneios que a música Hero Of The Day (Metallica) me trouxe. As partes grifadas são traduções de trechos da letra original, mas a interpretação usada no contexto deste post, por ser pessoal (e apesar de estar levemente relacionada), não tem compromisso com a interpretação de intenção do compositor.

8 comentários:

  1. Eu gostei muito do texto, a forma como você pegou a letra da música e "encaixou" nele o tornou fascinante. E o penúltimo (ou seria último?) parágrafo final, eu amei ele ♥ Ficou perfeito, Lari.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Lari, que legal isso que você fez... de utilizar trechos para compor seu texto, mesmo que não seja com o mesmo contexto...
    O texto é muito bom...(como sempreeeee.... é até chato ficar falando isso, né?? rsrsrs)

    Bjinhos
    JuJu
    asbsteirasquemecontam.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde Lari.. a música, ela tem um poder incrivel.. é trabalhoso fazer o que fez mas soa muito bem .. ainda mais sendo musica do metalica.. as letras deles são fortes e muito boas.. e tu tem uma imaginação muito fértil.. que possas publicar um livro ali para frente
    bjs e um lindo dia

    ResponderExcluir
  4. Estou apaixonado pelo o que você fez, criar sua própria visão de uma música. Adorei mesmo. :3 Quando estava lendo, me imaginei travando uma batalha interna comigo mesmo.

    ACESSO PERMITIDO: As singelas.
    http://acessopermitidoblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Ok. Ok. Isso me pareceu um tanto confuso no primeiro parágrafo, mas então dei play na música e... putz! Que ideia perfeita, original, criativa e mais uma penca de adjetivos dos quais não estou lembrada no momento. Aff, aff, e essa música, e esse devaneio, aff, aff, aff! ♥ Beijos, Light As The Breeze

    ResponderExcluir
  6. Adorei o post e me inspirou muito! Essa sua ideia foi uma das mais bacanas que eu já vi aqui no blog, eim! Mas deve dar um trabalho!? Mesmo assim, ficou divino, e ainda mais divino porque foi com uma musica do Metallica, e uma das minhas preferidas!

    Beijos, INconvencional!

    ResponderExcluir
  7. Eu gostei da sua interpretação. Na verdade, gostei pra cacete.. E a música... Bem, essa música é sensacional.

    ResponderExcluir
  8. Adoro Metallica! <3 Tem post novo lá no Blog, já viu? Passa lá e comenta o que achou! Beijos <3 http://gostosdeadolescentes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir