Nem tudo precisa fazer sentido

O8 de setembro de 2013, domingo de madrugada
"Eu não sei bem quem vou ser daqui a dez, vinte ou trinta anos, tampouco sei quem serei na semana que vem. O clima vai do frio ao escaldante, as escolhas surgem nos momentos errados, velhos hábitos são deixados para trás, os próximos tornam-se distantes, as novidades se renovam e o mundo gira tão rápido quanto pode. Eu acompanho como posso também."


A “semana que vem” chegou e minha opinião permanece a mesma. Não é como se ela pudesse ter mudado, de qualquer forma. O que muda é a gente. O tempo todo, toda hora. E isso está parecendo aquela propaganda que passava na TV, do relógio Champion com suas pulseiras coloridas. 

Nos últimos tempos, apaguei uma quantidade absurda de músicas das minhas playlists pelo simples fato de não me identificar mais com elas. Quer dizer, o gosto musical, em si, permanece o mesmo, a diferença é que agora sei o que pode ser bom dentro dele e o que pode não ser — segundo meus próprios gostos, afinal não existem verdades absolutas. Ainda nos últimos tempos, dei uma bela modelada no meu estilo. Na teoria, ele também permanece o mesmo, mas descobri que não preciso escondê-lo devido ao medo do “E o que vão pensar se...” . Estou tentando retomar o hábito da leitura, estou desenhando mais que de costume, estou percebendo um punhado de coisas novas sobre mim mesma e estou, enfim, tentando organizar minha vida de um jeito que só eu acabo entendendo.

A parte prática do post... É, estou sabendo que alguns marcadores do blog estão juntando mais poeira que não sei o quê — exceto os que guardam meus textos e a Estante desempoeirada (mas, nesse último caso, somente porque o nome dela afirma o contrário). Calma, tudo tem uma explicação, ainda mais vindo de gente que gosta de explicar tudo. Alguns marcadores estão desatualizados porque pedem posts elaborados, posts elaborados pedem tempo, e ultimamente meu tempo tem sido dedicado aos estudos — a arte de deixar as matérias se acumularem e fazer sua vida pessoal se ferrar quando chegam as semanas de prova. Outros, porque, como eu disse, minha personalidade vem sendo moldada de uma forma bem estranha, e eu estou tentando pensar em maneiras de transcrever isso para o blog sem “deixar de ser eu mesma”. 

O sentido deste post? Explicar, desabafar, comunicar, sei lá. Nem tudo precisa fazer sentido.

12 comentários:

  1. Concordo. Acho que me identifiquei com o "Nem tudo precisa fazer sentido" É como fugir de... sei lá, fugir de si mesma? Gostei :)

    ResponderExcluir
  2. Flor, seu texto me fez refletir muito sobre o tempo, minhas decisões, e a vida. O tempo vem e nos muda e nem sempre percebemos de imediato que mudamos, isso é fato.
    Coisas que tempos atrás eram tão significativas, passam a não ser mais.
    Mas acho que tudo isso faz parte do processo...

    Um beijo,

    http://meninamsicaeflor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Gostei! Cara, eu sou apaixonado pelos marcadores daqui. são "fantabulosos".

    Garoto Impulsivo

    ResponderExcluir
  4. Realmente , nem tudo precisa fazer sentido ...
    Ótimo texto , Lari .Como sempre .
    Beijos .
    http://blog-uma-outra-estacao.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Amei o post, é bom desabafar as vezes...


    Beijos,
    Bia

    on http://relatosdeparis.blogspot.com.br/
    Espero sua visita :)

    ResponderExcluir
  6. Até quando é um post pessoal você consegue transformá-lo em algo bem maior que isso. O texto ficou lindo. E bem que é mesmo, nem tudo precisa fazer sentido.
    Bjo, Sel ;*

    Jovens Gordinhas
    Unicórnio com Bigode

    ResponderExcluir
  7. Ri demais com a parte do relógio Champion hahaha E acho que as melhores coisas que vivemos não fazem sentido. Até porque, as loucuras que presenciamos não têm sentido algum, e é isto que as tornam tão inesquecíveis e deliciosas de se viver né? Enfim, o texto ficou simplesmente incrível, como o de sempre hahaha

    Bjs
    http://paradise-of-madness.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Sei muito bem como é mudar. E eu mudo tanto quanto o Champion. Antes eu gostava mais de POP e era bem colorido. Agora tô mais "dark" ouvindo The Killers e Florence & The Machine. Adorei o post.
    cronicasdeumlunatico.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Olhei esse post no que ele foi postado e desde lá estou pensando no que comentar... Acho que essa certa "transformação" acontece em todo mundo, querendo ou não, e embora já tenha passado por isso (pela parte de apagar as músicas do celular, colocar novas músicas mais antigas ainda e tentar mudar algumas peças de roupas, redecorar o quarto e mais um monte de bobagem que nem é tão bobagem assim) não sei como lidei com isso. Não que seja uma coisa difícil ou algum bicho de sete cabeças, é que realmente, senti um pouco de pena de mim mesma por ter mudado algumas coisas tanto nos meus hábitos quanto na minha personalidade também, senti pena por ver como tudo era diferente no passado, sabe? Perceber o quanto eu fui tonta de não mudar algumas coisinhas e após fazer isso, ver o quanto tudo estava melhor e sentir pena de mim mesma no passado por não ter visto essas coisas erradas. Acontece que isso é normal, e acho que a cada ano amadurecemos mais ou menos, e de certa forma, no final dos tempos, a transformação vem de volta e um pouco mais forte, ai sentimos pena de nós mesmas de novo. Isso é normal, principalmente no mundo das garotas, acho. A questão é: não se preocupa com isso Lari, a gente sempre muda pra melhor e se você colocar isso aqui no blog nunca vai deixar de ser você mesma, simplesmente por que você é fantástica. E isso não é apenas por que sou fã tanto sua quanto do Jeito Único, isso também serve como um conselho de amiga. Beijos, Light As The Breeze

    ResponderExcluir
  10. Eu só gosto do seu jeito de se expressar.
    Todos nós sempre estamos mudando, é o que acho baseando-se em mim mesma.
    http://doisquintos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Eu simplesmente não entendo como você consegue ser diva através de um simples post u.u
    Muito sério, você expressa tudo muito bem comum (de certa forma) e culto, e sei lá. Do seu jeito (único haha' piadinha sem graça, né?).
    Gente que gosta de explicar tudo, toca aqui O/

    ResponderExcluir
  12. As palavras se esparramam no papel em uma noite qualquer, sem nenhuma razão mas ao mesmo tempo com várias. Entendo bem como é isso- pelo menos suponho que seja uma dessas madrugadas inspiradoras.
    Não preciso dizer que tuas palavras são demais, uma vez que sempre escrevo sobre isso... Você sabe♥
    Infinitos beijos!
    http://menina-do-sol.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir