Desculpas esfarrapadas

A TV estava ligada. Entre uma reportagem aqui e outra ali, a garota que estava sendo entrevistada (num contexto do qual não me lembro) disse mais ou menos a seguinte frase: “Quem quer arranja um jeito, quem não quer arranja uma desculpa”. Na hora, pouco me importou se as palavras eram de autoria dela, de algum filósofo famoso ou se não passavam de um desses ditados populares que são transmitidos de geração para geração. O que importou foi que aquilo foi... foi profundo. E verdadeiro. Tipo aqueles sermões que ficam ecoando na cabeça da gente.

Mas todo eco uma hora para de surtir efeito. A professora de Biologia até citou a mesma frase em sala (acho que ela também assistiu à entrevista) no dia seguinte, mas, depois do dia seguinte, pronto: a lição de moral caiu no esquecimento. Bastou para que eu voltasse a ser a rainha do improviso das desculpas esfarrapadas. Devo dizer que não sou bem do tipo de pessoa que esquece de fazer lição de casa e depois explica em classe algo como: “Eu juro que eu fiz todas as questões, mas aí eu descuidei um minuto e meu cachorro comeu a folha onde elas estavam”. Acontece que eu posso ser um pouco mais clichê que isso, culpando o tempo, a falta de tempo, o Sol que estava de rachar, a chuva que veio no momento errado, a TPM que acabou comigo durante a semana, o passado que supostamente deveria me condenar, o sono que faz com que eu boceje e meus olhos fiquem lacrimejantes e, claro: as outras pessoas. 

Como sempre, usei a mim mesma como exemplo, porque eu odeio a hipocrisia de algumas criaturas de apontar defeitos em todo mundo sem antes fazer um bom exame de consciência. Então, como eu já me incluí na lambança toda, admita: você também tem suas desculpas esfarrapadas. Não sei se elas se encaixam entre as quais já citei acima — que vez ou outra adquirem um pouquinho de caráter, quando são reais “ironias do destino” ao invés de meras mentirinhas para driblar compromissos, convites e obrigações  ou se são mais originais. Nem faz diferença. O que faz diferença é uma coisa chamada força de vontade. Aquilo de que, quando a gente quer, a gente consegue.

Por favor, também não entenda mal. É claro que desejo que você persiga seus sonhos, mas nunca, nunquinha, tente passar por cima dos outros para conseguir o que almeja. É o tipo de atitude que pertenceu aos maiores babacas da história, e acredite: isso não é mérito algum. Numa corrida de obstáculos, nenhum atleta em sã consciência sai metendo bicuda nos cones espalhados pelo caminho. Eles desviam. Desviam e continuam rumo à linha de chegada. E depois, ao pódio.

Agora, quando os motivos são bobos e não trazem consigo nenhuma perspectiva de vida (tipo o convite para a festa da patricinha da sua sala, ou o cinema com um chato no final de semana, ou ainda um pedido do tipo “Deixa eu ver uma coisa no seu trabalho? Aquele que vale 20 pontos?” vindo de um folgado que passa o dia inteiro no Facebook), tudo bem inventar uma desculpinha à toa, né? Só tente ser um pouco convincente. E nem pense em culpar seu cachorro.

14 comentários:

  1. Como se eu tivesse um cachorro pra culpar, rs. Eu não sou o rei das desculpas prontas, mas as vezes se torna fácil usar uma. Outras vezes eu me enrolo todo, gaguejo e fico olhando para os lados, parece que todo mundo está olhando pra mim e isso atrapalha MUITO.

    >> blog-espelhodigital.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Nossa Lari vc escreve muito bem...
    Adorei seu texto, e td que vc diz nele é verdade, nada de ficar tentando culpar o mundo pelo que só nós somos culpados! Mas muitas vezes somos obrigadas a mentir, e tentar ser convincente pouco importa!
    Enfim!
    Beijinhos!
    http://www.in-acreditaveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eu não tenho cachorro, mas meu passarinho bica papel às vezes, então... ><' kkkk Se for pra sair, eu digo que minha mãe não deixa ou admito que é preguiça mesmo. Se for pra um trabalho, só empresto aos meus amigos de verdade, porque sei que se esforçam, o resto digo "NÃO!" na cara dura, sem problemas, bem que digo que sou sincera demais... u_u'
    Bjo, Sel ;*

    Jovens Gordinhas
    Unicórnio com Bigode

    ResponderExcluir
  4. Gente, o que é isso?! Eu acho que tô apaixonada pelo seu blog. Eu não me interesso muito por blogs cheios de textos, mas quando começo a ler o que você escreve não consigo mais parar. Tudo aqui é simplesmente incrível.

    Esse seu texto despertou aquela culpazinha que eu costumo esconder. Por quê será que nós fazemos isso? Seria perfeito se tivéssemos sempre a coragem de ir atrás. Mas admito, tenho preguiça e muita falta de vergonha na cara.
    Bom, agora que notei o erro o negócio é partir pro concerto.
    Beijos, Paradise.

    ResponderExcluir
  5. Verdade, hoje eu olho pra trás e digo: "— Meu Deus! Eu mudei demais!" Eu costumava usar muito desculpas, mas alguns anos atrás eu comecei a olhar pra dentro e perceber que, as vezes a culpa é minha. Até mesmo o blog foi um passo pra isso, para ter que organizar a minha rotina, precisei adotar a filosofia da organização e praticidade! Depois disso meu desempenho na escola melhorou, meu desempenho como pessoa melhorou. Vou parar por aqui, se não passo o dia todo falando, ou melhor digitando.

    BlogueiroNerd

    ResponderExcluir
  6. Quantas vezes nos vemos diante dessas saias justas. Mas, não gosto de inventar muitas desculpas. Falo que não vai dar de verdade, mando presente depois, dou um jeito sempre. E ficam todos felizes! O que interessa aqui é o texto, exímio texto! :)

    ResponderExcluir
  7. Pois é... Eu já fui a rainha da desculpa esfarrapada! hahaha Eu quase nunca tinha vontade de fazer alguma coisa, só pensava em estudar. 'tesc tesc' Mas já na segunda série, aos poucos (aos poucos mesmo) eu comecei a mudar. Hoje eu já saio mais de casa, sem colocar a culpa em ninguém. Mas admito que se for tpm nem é desculpa, eu posso ficar realmente triste com ela e aí ninguém me tira da cama. rs
    Mas acho que o que vale ressaltar, e você colocou no texto, é a força de vontade. E sem passar por cima de ninguém, claro. Vitória boa, é vitória justa. Nada melhor do que um objetivo em nossa vida para nos tirar da comodidade! hahaha Adorei o post. Mas também vim aqui para te dizer, que te indiquei em um meme. Espero mesmo que você faça! Logo que o revi lembrei de você. Enfim... Clique >aqui< e veja o post. hauhauh Beijo!

    ResponderExcluir
  8. Eu sou praticamente a rainha das desculpas esfarrapadas, mas eu acho que é mais no sentido de não ter paciência de fazer as coisas do que de falta de vontade.
    Adorei mesmo o texto. ^^
    Beeijos. :*

    bookaddictedblog.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Gostei muito do texto, é uma narrativa reflexiva que me levou a uma questão que eu sei que devo praticar mais. Estou amando os seus textos <3
    xoxo, Nicolle

    Dias e Flores | Fan page

    ResponderExcluir
  10. Hoje em dia eu uso mais desculpas do que antigamente, mas não me orgulho. Depois sempre me vem a consciência pesada e me sinto mal por não conseguir falar ao menos a verdade ou simplesmente cumprir os meus horários e afazeres, principalmente com relação aos estudos. O pior mesmo é que depois que você pega o hábito é muito difícil de parar! Mas esse texto me deu um pouco mais de esperança e de ânimo pra superar :)

    Bjs
    http://paradise-of-madness.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Texto muito inspirador, concordo plenamente!Sobre essas coisinhas bobas, tem gente que cria cada desculpa...
    Sanduíche de Assunto

    ResponderExcluir
  12. Como se tivesse um cachorro rs Adoro inventar desculpas, mas sempre sai uma pior que a outra. Por isso prefiro n'ao mentir, acabo sendo sincero ate demais.

    Henrique Montoya

    ResponderExcluir
  13. Nunca tinha parado para pensar nessa questão. Mesmo tendo um tanto de responsabilidade, ninguém é de ferro e no final das contas acaba sempre inventando uma desculpa. Basta saber se é esfarrapada ou não. Adorei o conselho Lari, principalmente o de não colocar a culpa no cachorro haha. Beijos, Light As The Breeze

    ResponderExcluir
  14. kkkkkkkkkkkkkk "E nem pense em culpar seu cachorro" kkkkk Amei esta parte.
    O que é fato, todos nós arrumamos desculpas esfarrapadas para diversas coisas, eu geralmente resolvo assumir o erro, mas vez e outra tô com uma desculpa.
    Muito boa sua reflexão, e melhor ainda a sua metáfora da corrida de obstáculos. ;)

    ResponderExcluir